Quem sou

Olhando para a minha trajetória de vida, tentando dizer quem sou, vejo que é impossível me definir citando apenas o lado profissional, muito menos enfatizando unicamente as muitas formações acadêmicas e experiências de trabalho. Como seres multifacetados e multidimensionais, somos muito mais do que aquilo de que as palavras dão conta. Apesar disso, entrego aqui um pouquinho da minha história.

Nasci em 1953 e, como a maioria das mulheres da minha geração, fui treinada para ser uma boa esposa, boa dona de casa e mãe dedicada e, mais ainda, ter garra para lutar e conquistar um lugar no mundo profissional. Assim, meu treinamento começou muito cedo, no berço provavelmente.

Na infância aprendi as artes domésticas e peguei gosto pelos trabalhos manuais ao ajudar na feitura e no tingimento dos fios, no bordar, no trabalhar com os tecidos, emendando e costurando e no desenvolvimento de muitas outras habilidades que aos poucos estão sendo resgatadas do baú da minha história para serem assimiladas ao trabalho de Arteterapia, trazendo o lúdico de então para enriquecer e dar leveza ao entardecer da vida.

Amante do conhecimento, pesquisadora inata e curiosa por excelência, fui tecendo ao longo dos anos uma trama bem-feita de muito estudo e prática, onde buscava entender a mente humana, oscilando entre o fora e o dentro de mim mesma. Cursei psicologia na UnB (1977) e adentrei à clínica. A partir daí fui serpenteando entre os estudos formais e os informais, seguindo muitas pós-graduações dentro das diferentes orientações da Psicologia (Gestalt-terapia, Psicoterapia Rogeriana, Psicanálise Lacaniana e Winnicottiana, etc.) e outras voltadas a explorar as sutilezas da alma (meditações, tarô, yoga etc.). Assim foi que acabei conhecendo o trabalho de Barbara Brennan, autora do livro Mãos de Luz, com a qual passei 8 anos (1995 – 2003) estudando sobre o campo de energia humana, tendo me formado healer e depois professora naquela escola, nos Estados Unidos. Lá, adentrei à análise bioenergética de Alexander Lowen e ao estudo das sombras segundo Jung.

Após isso, quis entender melhor o lado espiritual do ser humano. Fiz então uma especialização em História do Cristianismo Antigo pela UnB (2010 – 2011), que agregou um olhar antropológico, filosófico e sociológico ao meu trabalho, além de pesquisar sobre as curas espirituais, culminando no texto “A cura do cego de Jericó à luz da Psicologia”. Em seguida, fiz o mestrado em Ciências da Religião, na PUC Goiás (2012 – 2014), na busca de explicar a origem, o desenvolvimento e a importância da crença na mente humana, finalizando com a dissertação: A função psíquica do crer.

Satisfeita com as respostas obtidas, parti em busca de novos horizontes e, assim, encontrei as Artes. Entendendo que a expressão do mundo interno também cura, passei por yoga da voz, dançaterapia, pintura espontânea e, finalmente, fiz uma pós-graduação em Arteterapia, onde pesquisei sobre a importância da criatividade e da ludicidade para uma melhor qualidade de vida dos idosos, encerrando com a monografia “Envelhecer sorrindo: Uma abordagem lúdica em Arteterapia”.

Hoje sei que todos os saberes que adquiri ao longo da vida foram válidos, tanto os vindos da intelectualidade quanto os que vieram por meio da minha ancestralidade, da cultura, do saber popular, dos encontros e desencontros da vida. E é a partir dessa inteireza que me coloco a serviço daquele que me procura. Como disse Jung: “Conheça todas as teorias, domine todas as técnicas, mas, ao tocar uma alma humana, seja apenas outra alma humana.”.

Site - Celia Morgado - Rolo de filme

Para mais detalhes da minha vida profissional, consulte meu currículo lates.

 

Quem sou

Olhando para a minha trajetória de vida, tentando dizer quem sou, vejo que é impossível me definir citando apenas o lado profissional, muito menos enfatizando unicamente as muitas formações acadêmicas e experiências de trabalho. Como seres multifacetados e multidimensionais, somos muito mais do que aquilo de que as palavras dão conta. Apesar disso, entrego aqui um pouquinho da minha história.

Nasci em 1953 e, como a maioria das mulheres da minha geração, fui treinada para ser uma boa esposa, boa dona de casa e mãe dedicada e, mais ainda, ter garra para lutar e conquistar um lugar no mundo profissional. Assim, meu treinamento começou muito cedo, no berço provavelmente.

Na infância aprendi as artes domésticas e peguei gosto pelos trabalhos manuais ao ajudar na feitura e no tingimento dos fios, no bordar, no trabalhar com os tecidos, emendando e costurando e no desenvolvimento de muitas outras habilidades que aos poucos estão sendo resgatadas do baú da minha história para serem assimiladas ao trabalho de Arteterapia, trazendo o lúdico de então para enriquecer e dar leveza ao entardecer da vida.

Amante do conhecimento, pesquisadora inata e curiosa por excelência, fui tecendo ao longo dos anos uma trama bem-feita de muito estudo e prática, onde buscava entender a mente humana, oscilando entre o fora e o dentro de mim mesma. Cursei psicologia na UnB (1977) e adentrei à clínica. A partir daí fui serpenteando entre os estudos formais e os informais, seguindo muitas pós-graduações dentro das diferentes orientações da Psicologia (Gestalt-terapia, Psicoterapia Rogeriana, Psicanálise Lacaniana e Winnicottiana, etc.) e outras voltadas a explorar as sutilezas da alma (meditações, tarô, yoga etc.). Assim foi que acabei conhecendo o trabalho de Barbara Brennan, autora do livro Mãos de Luz, com a qual passei 8 anos (1995 – 2003) estudando sobre o campo de energia humana, tendo me formado healer e depois professora naquela escola, nos Estados Unidos. Lá, adentrei à análise bioenergética de Alexander Lowen e ao estudo das sombras segundo Jung.

Após isso, quis entender melhor o lado espiritual do ser humano. Fiz então uma especialização em História do Cristianismo Antigo pela UnB (2010 – 2011), que agregou um olhar antropológico, filosófico e sociológico ao meu trabalho, além de pesquisar sobre as curas espirituais, culminando no texto “A cura do cego de Jericó à luz da Psicologia”. Em seguida, fiz o mestrado em Ciências da Religião, na PUC Goiás (2012 – 2014), na busca de explicar a origem, o desenvolvimento e a importância da crença na mente humana, finalizando com a dissertação: A função psíquica do crer.

Satisfeita com as respostas obtidas, parti em busca de novos horizontes e, assim, encontrei as Artes. Entendendo que a expressão do mundo interno também cura, passei por yoga da voz, dançaterapia, pintura espontânea e, finalmente, fiz uma pós-graduação em Arteterapia, onde pesquisei sobre a importância da criatividade e da ludicidade para uma melhor qualidade de vida dos idosos, encerrando com a monografia “Envelhecer sorrindo: Uma abordagem lúdica em Arteterapia”.

Hoje sei que todos os saberes que adquiri ao longo da vida foram válidos, tanto os vindos da intelectualidade quanto os que vieram por meio da minha ancestralidade, da cultura, do saber popular, dos encontros e desencontros da vida. E é a partir dessa inteireza que me coloco a serviço daquele que me procura. Como disse Jung: “Conheça todas as teorias, domine todas as técnicas, mas, ao tocar uma alma humana, seja apenas outra alma humana.”.

Para mais detalhes da minha vida profissional, consulte meu currículo lates.

 

Propósito

Contribuir para a jornada
do ser em busca de si.

Em busca de autoconhecimento
autonomia e autotransformação?